Trabalhadores terceirizados contratados pela prefeitura passam fome em Jequié

Sergio Suzarte prefeito de Jequié

TM Mercadinho e Bombonierie 300x250Os trabalhadores que prestam e prestaram serviços terceirizados a prefeitura Municipal de Jequié estão procurando as emissoras de rádio (que estão abertas para reclamação da população), para denunciar  que estão passando privações e até caso de famílias passando fome, devido ao débito atrasados relativo ao exercício de 2016 e 2017.

Os prestadores de serviços contratados até 31 de dezembro de 2016, através da empresa Terceira Visão, tem um montante de R$ 5.953.918,51. No quadro demonstrativo enviado pela direção da empresa à Câmara Municipal, constam informações do passivo trabalhista pendente, com a seguinte especificação: Salários de 2016 (R$ 3.692.544,92); 13º Salário de 2016 (R$ 736.251,74); Rescisões Trabalhistas (R$ 1.258.001,85) e Acordos na Justiça do Trabalho (R$ 256.850,00).

O Projeto de Lei 013/2017, encaminhado à Câmara, pelo prefeito Sérgio Suzarte foi aprovado na última terça-feira, 25, autorizou a abertura de crédito adicional especial no orçamento, até o valor de R$ 26.390 milhões, com o uso de recursos da Ação Judicial Fundef (Precatórios), fixando apenas o pagamento dos terceirizados do setor da educação em 2017, sendo R$ 3.750 milhões, para os motoristas do transporte escolar e mais R$ 4.260 milhões para outros serviços de terceiros, na rubrica de Manutenção do Ensino Fundamental.

Segundo informações do Blog Jequié Repórter “O prefeito tem orientado os credores terceirizados a irem a Câmara com o objetivo de pressionarem os vereadores para aprovarem suplementações, quando em verdade, o legislativo nada tem a ver com o passivo que beira R$ 6 milhões e que é obrigação da Prefeitura quitá-los com recursos de sua arrecadação”, explica o vereador Reges Silva, 1º secretário da Câmara.

Uma vergonha que tem trazido sérios prejuízos aos trabalhadores que ainda estão recebendo valor inferior ao salário estipulado pelo governo federal, ou seja o piso do Salário minimo.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *