Moradores do Jardim Tropical aguardam PMJ devolver equipamentos do Galpão

A pendenga estabelecida entre prefeitura de Jequié e a Associação dos Moradores do Loteamento Jardim Tropical, parece não ter fim. A desavença teve início em 11 fevereiro 2017, quando prepostos da prefeitura orientado pelo secretário de Serviços Renê Andrade, quebraram os cadeados e invadiram o galpão pertencente à comunidade do Loteamento Jardim Tropical, sem dá nenhuma satisfação, de acordo relato em boletim de ocorrência OC 00822, apresentado por Gervásio A. da Silva que exercia a função de presidente da entidade e que compareceu a delegacia de Polícia Civil para prestar queixa do arrombamento.
No último dia 27 de outubro 2017, a Justiça, através do Juiz de Direito, Roberto Paulo, em cumprimento a decisão do Desembargador Ivanilton Santos da Silva (relator do processo) restituiu a posse do imóvel denominado Galpão Comunitário da Associação Comunitária do Jardim Tropical. Na Decisão do Desembargador foi concedido efeito suspensivo à decisão de 1º Grau, concedendo a imediata reintegração da posse do imóvel. O Agravo de Instrumento foi protocolado pela Defensoria Pública do Estado da Bahia, representada pela Defensora Yana de Araújo Melo.

Moradores aguardam que a prefeitura devolva os equipamentos de panificação, custura e informática para dá início aos cursos que foram interrompidos pela briga entre a prefeitura e a associação.

O que não esperavam os representantes da Associação, era que os equipamentos existente fossem retirados do local pelos membros da atual gestão. fato este relatado pela atual presidente, Maria Helena Santos. Segundo a dirigente, todos os objetos foram levados do espaço evitando assim que os trabalhos sejam dados sequência. O fato foi comunicado a polícia e justiça.

Segundo o Blog do radialista Marcos Cangussu, a prefeitura emitiu uma nota dizendo “A Prefeitura de Jequié, através da Procuradoria Geral do Município, informa que a situação do galpão do Jardim Tropical vem sendo tratada dentro dos tramites jurídicos legais e, por conta disso, os materiais, itens e equipamentos encontrados no local foram recolhidos ao Departamento de Material e Patrimônio (DEMAP), a fim de que fossem resguardados, procurando manter a propriedade do que for do município, através da identificação de tombamento.
A Prefeitura de Jequié reitera que não é contrária a existência de nenhuma associação, muito pelo contrário. Mas também reafirma que o bem em questão pertence ao município e que isso será comprovado em juízo e, nesse intuito, entrou com uma suspensão de liminar, na tentativa de preservar o patrimônio do município, não somente este mas também outros espaços que vem sendo indevidamente ocupados”, diz a nota.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *