Jequié: Roberto Britto só teve uma falta na Câmara dos Deputados em 2017

O Jornal Correio da Bahia por meio da coluna Satélite fez um levantamento e mostrou os deputados federais com mais faltas e os mais assíduos. Segundo o jornal, Sérgio Brito (PSD) e Irmão Lázaro (PSC) foram os parlamentares baianos que mais faltaram ao trabalho na Câmara em 2017. No outro extremo, o petista Valmir Assunção foi o mais assíduo – ele é o único que registrou 100% de presença no ano, comparecendo a todas as 119 sessões realizadas. Já entre os mais assíduos, o levantamento aponta Roberto Britto (PP), com apenas uma falta, ou seja é o segundo deputado baiano no ranking em presença na Câmara Federal.

De acordo com os dados, Sérgio Brito e Irmão Lázaro não foram a 45 das 119 sessões deliberativas, o que representa 37,8% de faltas. Este é o terceiro ano seguido que Brito lidera o ranking dos faltosos. Proporcionalmente, quem mais faltou foi Fernando Torres (PSDB). Ele deixou a Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur) em setembro, quando retornou ao trabalho de parlamentar. Desde então, fora 48 sessões e ele deixou de comparecer a 22, ou seja, 45,8% do total.

Segundo a coluna Satélite, além de liderarem os faltosos em geral, Sérgio Brito e Irmão Lázaro também são os deputados federais da Bahia que menos compareceram às reuniões das comissões do ano passado. Lázaro não foi a 80,3% dos 66 encontros dos dois colegiados que participa. Brito, por sua vez, faltou a 79,5% das 73 reuniões feitas pelas três comissões que participa. Na Comissão de Defesa do Consumidor, em que os dois estão, Brito só esteve em 4 das 58 reuniões. Lázaro esteve em 11. Uldurico Júnior (PV), com 73,7% de faltas, Lúcio Vieira Lima (PMDB) – 70,6% – e Ronaldo Carletto (PP) – 69,2% – completam o ranking dos cinco mais ausentes.

Na outra via, Félix Mendonça Junior foi o mais assíduo nas reuniões das comissões que faz parte entre os baianos. Ele faltou somente 2,1% das 237 reuniões dos nove colegiados que participa. Nelson Pelegrino (PT) aparece em segundo, faltando a 5,8% dos encontros de suas comissões. Ele é seguido por Davidson Magalhães (PCdoB), com 6,8%. Jorge Solla (PT), com 11,8% de faltas, e Paulo Magalhães (PSD), com 12,3%.

Comments
  1. Zenilton Meira

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *