Brasileiros presos em Mindelo/Cabo Verde tem parentes em Jequié

Em agosto deste ano, Daniel Guerra e Rodrigo Dantas foram contratados pela agência de recrutamento de tripulação” The Yacht Delivery Company”, com sede na Holanda, para transportarem um veleiro de 72 pés, de bandeira inglesa, saindo de Salvador/Brasil até os Açores/Portugal. Posteriormente, Daniel Dantas foi chamado para integrar a tripulação.

Movidos pelo sonho de realizarem a travessia do Atlântico e adquirirem experiência (milhas navegadas), os 3 velejadores embarcaram nessa viagem, que se tornou um pesadelo.

Na 1ª parada do veleiro, por problemas mecânicos, em Mindelo/Cabo Verde, a polícia encontrou mais de 1 tonelada de cocaína, escondida no duplo fundo do casco, de ferro e cimento e que os tripulantes obviamente desconheciam, por estarem localizadas embaixo dos tanques de água e revestidos com cimento e placas de aço. O barco, no período em que esteve parado no Iate Clube de Natal/Brasil, foi vistoriado por 6 horas pela polícia federal, com cães farejadores e foi liberado. Em nenhum momento os brasileiros contratados tiveram qualquer contato ou sabiam o que o barco trazia escondido, sob placas de aço, soldadas ao casco e revestidas com cimento.

Cabe ressaltar que este veleiro, esteve por mais de um ano no Brasil, tendo a maior parte do tempo estado sob reformas no casco, que foram realizadas na Marina Ocema, próxima a Salvador.

O proprietário do barco conhecido como Mr Fox, se trata de George “Fox” Saul, cidadão inglês, com residência em Gibraltar e Norwich (UK) que está desaparecido e aparentemente existe um mandato de prisão, estabelecido pela Interpol. O Sr George Saul esteve inúmeras vezes no Brasil para acompanhar a remodelação de seu barco, sendo que, em pelo menos uma ocasião, ele ficou sozinho ancorado em uma praia semi deserta do litoral brasileiro, onde havia uma residência e amplo tempo e privacidade para fazer o carregamento da droga. ..

Os três brasileiros e o capitão francês estão presos desde agosto. Nesse momento existe uma forte pressão para que eles se assumam culpados,incluindo ameaças à integridade física e se forem considerados culpados poderão receber uma pena de até 15 anos de prisão.

A mídia brasileira já está preparando uma matéria, a ser divulgada amplamente nos principais veículos de comunicação do país, a fim de mostrar que a tripulação foi vítima de uma rede internacional de tráfico de drogas.

Solicitamos às pessoas que os conhecem e sabem da idoneidade de cada um deles, que assinem esse abaixo assinado e deixem seus comentários, à fim de sensibilizar as autoridades caboverdeanas, da inocência da tripulação, que foi usada por uma quadrilha internacional. Fonte: Facebook.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *