O triste fim do amigo Orelhão em Jequié

Há mais de uma década tentando sobreviver ou conviver com a era digital, os famosos Orelhões a cada dia tem sua história finalizada em Jequié.  Os que resistem a ação do tempo, não funcionam. Este, localizado na Avenida Franz Gedeon desabou há dois dias e nenhuma providencia foi tomada pela operadora que presta serviço a operadora Oi.

Os Orelhões já tiveram seu tempo de glória, antes dos aparelhos de celular, o único meio de comunicação coletivo eram estes aparelhos, espalhado por toda cidade. Para faze-los funciona, utilizava-se  até 1990, um ficha de chumbo (parecido  com uma moeda de R$ 0,50), que permitia uma duração de  falar de três minutos,  caso o usuário quisesse mais tempo poderia colocar mais outra ficha antes de findar a ligação.

 Mais tarde surgiram os cartões, um processo digital que eletronicamente dava direito de uso de até 50 minutos de fala ininterruptas, cronologicamente numerada o total do gasto. Todas adquiridas no comercia local.

A Telebahia era a empresa responsável, posteriormente vendida para a Telemar – Oi. Hoje a empresa que faz a manutenção dos aparelho é a Oi, que nos últimos tempo, sentindo a diminuição das ligações ainda mantém os orelhões funcionando mais com a manutenção precária.  Atualmente as ligações  locais para telefones  fixos o usuário pode fazer grátis.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *